sábado, 25 de agosto de 2012

Quem pintou...









Quem pintou o amor,
um dia, desejou que ele fosse rosa.
A rosa (a flor, não a cor)
ficou furiosa.
Essa cor rosa é minha,
a criatura mais formosa.
A cor, agora rosa,
nem ligou mais
 para aquela flor melindrosa.
Se você ficou confuso, ligue não!
Depois de muito discutir,
a flor, o amor e a cor,  todos rosa,
saíram, mundo afora,
para pintar de rosa,
todas as coisas desse mundo.

Carlos Rosa

Tem uma pantera cor de rosa, mas ela não faz parte dessa história



quinta-feira, 23 de agosto de 2012

P R A Z E R




Uma taça…

Beber do vinho… todo o seu frescor.

O prazer sutil,

varou a noite imensa…




Um amor …

Sorver do prazer… todo o seu ardor.

O prazer febril,

varou a noite intensa…



Carlos Rosa

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

POEMA DA TARDE



 

Amor Bastante

quando eu vi você 
tive uma idéia brilhante 
foi como se eu olhasse 
de dentro de um diamante 
e meu olho ganhasse 
mil faces num só instante 

basta um instante 
e você tem amor bastante 

um bom poema 
leva anos 
cinco jogando bola, 
mais cinco estudando sânscrito, 
seis carregando pedra, 
nove namorando a vizinha, 
sete levando porrada, 
quatro andando sozinho, 
três mudando de cidade, 
dez trocando de assunto, 
uma eternidade, eu e você, 
caminhando junto 

Paulo Leminsk

sábado, 11 de agosto de 2012



POEMA DA NOITE

INCRÍVEL, MAS EU JÁ FUI BOM NISSO...
GIRA PIÃO

Gira pião, gira rápido
na palma da mão.
faz feliz o menino querido
e alegra o seu pequeno coração.

Gira pião, roda pião
bambeia, bambeia pião
na palma da minha mão
gira pião, roda pião


Momentos de prazer infinito
vendo o pião a girar, a girar...
Na dança alegre do tempo,
que passa lento, em seu espaço restrito.


Quem dera o tempo parasse,
Ou de um sonho eu não acordasse.
Para tê-lo , pequeno pião,
sempre a girar, sempre a girar.


Carlos Rosa

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Arquivo do blog