sábado, 27 de abril de 2013

POEMA DA TARDE SOLIDÃO



A solidão é fera, a solidão devora.
É amiga das horas prima irmã do tempo,
E faz nossos relógios caminharem lentos,
Causando um descompasso no meu coração.

A solidão é fera, a solidão devora.
É amiga das horas prima irmã do tempo,
E faz nossos relógios caminharem lentos,
Causando um descompasso no meu coração.

A solidão é fera,
É amiga das horas,
É prima-irmã do tempo,
E faz nossos relógios caminharem lentos
Causando um descompasso no meu coração.

A solidão dos astros;
A solidão da lua;
A solidão da noite;
A solidão da rua.

A solidão é fera, a solidão devora.
É amiga das horas prima irmã do tempo,
E faz nossos relógios caminharem lentos,
Causando um descompasso no meu coração.

A solidão é fera,
É amiga das horas,
É prima-irmã do tempo,
E faz nossos relógios caminharem lentos
Causando um descompasso no meu coração.

A solidão dos astros;
A solidão da lua;
A solidão da noite;
A solidão da rua.

Alceu Valença

4 comentários:

  1. O sentimento de solidão é interessante, porque não necessariamente estamos sós, ao sentir.
    E nos momentos desta solidão fera e que devora, o artista cria mais.
    abraço

    ResponderExcluir
  2. Plenamente de acordo minha cara amiga Paula Barros

    ResponderExcluir
  3. Visceral essa letra. Alceu é poeta dos bons e disse a solidão de um jeito lindo.

    Abraços gloriosos, querido Carlos.

    ResponderExcluir
  4. Também concordo amiga Milene Lima.

    ResponderExcluir

Meus amigos e amigas sejam sempre bem vindos, eu agradeço aos gentis e inteligentes comentários no meu humilde espaço de reflexão, expressão e comunicação. Espero o seu retorno. Um forte abraço.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Arquivo do blog