terça-feira, 14 de dezembro de 2010

AUSÊNCIA


A ausência na visão do grande poeta.

Por muito tempo achei que a ausência é falta.
E lastimava, ignorante, a falta.
Hoje não a lastimo.
Não há falta na ausência.
A ausência é um estar em mim.
E sinto-a, branca, tão pegada, aconchegada nos meus braços,
que rio e danço e invento exclamações alegres,
porque a ausência assimilada,
ninguém a rouba mais de mim.

Carlos Drummond de Andrade

C@UROSA

30 comentários:

  1. Adoro Drummond!!

    Boa semana amigo! beijo

    ResponderExcluir
  2. Querido amigo Cau,

    maravilha Drummond! Obrigada pela excelente partilha.

    Beijos com carinho

    ResponderExcluir
  3. Mas não se ausente tanto, amigo, rsrsrsrsrsr!
    Abraços fortes.

    ResponderExcluir
  4. Ausencia é uma alma aflita...um papel em branco....abraços de bom dia pra ti amigo...

    ResponderExcluir
  5. Olá, Carlos!
    Drummond é sempre muito bom!!
    Abçs!
    Rike.

    ResponderExcluir
  6. Olá Carlos
    Obrigado pelo presente, Carlos Drummond é tudo de bom. Valeu.
    Grande abraço

    ResponderExcluir
  7. A ausência sentida, é uma ausência preenchida. De saudades, de lembranças, de vontades...

    abraço!

    ResponderExcluir
  8. Oi, Mônica querida
    Ler é algo saboroso demais!!!
    Bjs de paz

    ResponderExcluir
  9. Mas a ausencia machuca e está sempre presente rodeando a quem dela não sabe cuidar.

    Um beijo querido e obrigada pelo carinho.

    Iram

    ResponderExcluir
  10. Ele é sempre maravilhoso,não? abraços,tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  11. Carlos,

    Ele é perfeito!
    Linda postagem, boa escolha.

    Bjs e linda semana pra gente.

    ResponderExcluir
  12. Só sei que conviver com uma presença de uma ausência é ruim demais.
    Beijos querido.

    ResponderExcluir
  13. Oi,Carlos!Aff tu andava tri ausente hein!Mas que bom tê-lo de volta.
    Cuide-se!
    Beijossss

    ResponderExcluir
  14. Como sempre Drummond...
    sem palavras!
    Beijo!

    ResponderExcluir
  15. Drummond,
    poesia em palavras e gestos.

    Lindo meu amigo.
    Beijinho.

    Fernanda.

    ResponderExcluir
  16. Caro amigo sempre postando coisas interessante.

    adorei esse poema, pequeno, simples avassalador.

    boa semana pra vc.

    ResponderExcluir
  17. Meu caro amigo Carlos, esse é o poeta que mais gosto junto a Quintana. Abraço

    ResponderExcluir
  18. Lindo poema desse genial Drummond... Adianto que logo postarei no meu Relicário.

    Beijos.
    Bom fim de semana.

    ResponderExcluir
  19. Um belissimo dia pra ti amigo,,,abraços fraternos...

    ResponderExcluir
  20. Gde Drummond.

    Voltando as visitas, graças a Deus estou bem melhor, obrigado pelo seu carinho.

    Um gdeeeeee abraço.

    beijooo.

    ResponderExcluir
  21. como sempre a sensibilidade nos posts.
    Maurizio

    ResponderExcluir
  22. Querida amigo, Drummond é um presente maravilhoso.
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  23. Parabéns pelo blog e pelos textos... Tenho um blog chamado Folhetim Cultural gostaria que visita-se este é o endereço: informativofolhetimcultural.blogspot.com
    Vamos trocar conhecimentos...
    Ass: Magno Oliveira
    Folhetim Cultural

    ResponderExcluir
  24. E o limite da presença da pessoa dentro de nós...

    Fique com Deus, menino Carlos Rosa.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  25. Meu fiel escudeiro Caurosa,
    o coitado do Drummond já teve seus óculos roubados tantas vezes que mesmo se ainda fosse vivo, não conseguiria ler suas inspiradas palavras!
    Bjs,
    Tati.

    ResponderExcluir

Meus amigos e amigas sejam sempre bem vindos, eu agradeço aos gentis e inteligentes comentários no meu humilde espaço de reflexão, expressão e comunicação. Espero o seu retorno. Um forte abraço.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Arquivo do blog