segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Aos mestres com carinho


Aos mestres com carinho

Aos meus mestres,
com carinho agradeço
terem me ensinado a ensinar.
Aos meus mestres agradeço:
Pelo sacrifício diário,
pela dedicação exclusiva,
pela paciência  infinita,
pela presença marcante,
pela  pesquisa constante,
pela busca do saber.
Aos mestres, com carinho
agradeço.
CARLOS AUGUSTO ROSA
“Sabe…eu sou aquela criança que senta num cantinho qualquer da aula, de roupinhas velhas, rostinho feio, cabelos sem brilho e quase não fala.
Sabe…eu sou aquela criança que nunca traz uma merenda gostosa pra poder lhe dar um pedacinho, aquela criança que não lhe dá os desenhos bonitos porque só tem lápis preto para colorir.
Sabe..eu sou aquela criança que nunca ganhou um colinho do papai, que nunca ganhou ovinhos de Páscoa, a não ser os que a senhora me dá.
Sabe…eu sou aquela criança que muitas vezes traz o tema mal feito, porque a mesa lá de casa é um caixote de madeira, que sacoleja todo quando a gente escreve, aquela criança que a senhora nem nota, que nunca chega perto porque não tem cheirinho de perfume.
Sou aquela criança que a senhora reclama sempre que não é como as outras, aquela que lhe traz com carinho uma florzinha murcha, que a senhora finge gostar, mas que acaba esquecendo sobre a mesa.
Sou, enfim, professora, aquela criança que gostaria de ser como as outras, mas não é, que gostaria de receber um sorriso, mas não recebe, que gostaria de receber um “parabéns”, que gostaria de lhe dar flores bem lindas para que a senhora se orgulhasse de mim.
Mas, assim mesmo eu lhe peço, aceite-me como sou, gosta de mim como a senhora gosta dos outros, preste atenção em mim, não me vire as costas, acredite em mim. Porque eu queria ser importante para a senhora. Porque eu sou aquela criança feinha e sem graça, que senta num cantinho qualquer da sala e que, se a senhora tiver um tempinho para prestar atenção em mim, verá em meus olhos sem brilho um brilho de esperança, na espera de uma chance para poder lhe dizer:
OLHE PRA MIM,PROFESSORA,PRECISO DE VOCÊ!”

C@UROSA

6 comentários:

  1. Olá amigo, também fui essa criança triste, sem pais, que ninguém queria brincar...pois os pais avisavam para não brincar. Só que fui aquela criança por gostar tanto de matemática apanhava mais que os outros, pois a professora dizia:- Hás-de ser tão boa a história como és a matemática. Só que eu nunca fui e como fazia quadras nas aulas vá palmada com régua. Lindo e doce seu texto. Adorei. Beijos com carinho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela gentil visita amiga rosa-branca, os mestres são inesquecíveis.

      Excluir
  2. Linda homenagem, vinda do coração! abraços,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Homenagem de coração para os mestres do Brasil amiga Chica.

      Excluir
  3. Olá, Carlos!

    Texto tocante sobre esse menino que se sentia diferente dos outros; espelho duma realidade em muitos lados presente.

    E linda homenagem a quem nos ajudou a crescer e ser gente.

    Abraço amigo.
    Vitor

    ResponderExcluir

Meus amigos e amigas sejam sempre bem vindos, eu agradeço aos gentis e inteligentes comentários no meu humilde espaço de reflexão, expressão e comunicação. Espero o seu retorno. Um forte abraço.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Arquivo do blog