sábado, 6 de outubro de 2012

O POETA DO PANTANAL
























O mundo meu é pequeno, Senhor.
Tem um rio e um pouco de árvores.
Nossa casa foi feita de costas para o rio.
Formigas recortam roseiras da avó.
Nos fundos do quintal há um menino e suas latas
maravilhosas.
Todas as coisas deste lugar já estão comprometidas
com aves.
Aqui, se o horizonte enrubesce um pouco, os
besouros pensam que estão no incêndio.
Quando o rio está começando um peixe,
Ele me coisa
Ele me rã
Ele me árvore.
De tarde um velho tocará sua flauta para inverter
os ocasos.


Manoel de Barros




6 comentários:

  1. Bom dia,Carlos!Manuel de Barros é fantástico ele faz poesia das coisas mais simples e belas da vida.Lindos versos,sábia escolha!
    Beijosss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amiga Flor, o poeta do pantanal Manoel de Barros a todos encanta.

      Excluir
  2. Vim correndo quando vi que se tratava do Poeta do Pantanal. Amo muito Manoel de Barros e esse jeito de dizer tão lindo as coisas comuns.

    Beijo, Carlos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Milene Lima, o poeta Manoel de Barros é um fantástico ser que nos emociona com seu belo poemas.

      Excluir
  3. Ele me coisa
    Ele me rã
    Ele me árvore

    Carlos, depois desses versos eu não tenho mais palavras. Amei demais. Abçs e uma boa semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Versos lindo que emocionam, meu amigo Eder.

      Excluir

Meus amigos e amigas sejam sempre bem vindos, eu agradeço aos gentis e inteligentes comentários no meu humilde espaço de reflexão, expressão e comunicação. Espero o seu retorno. Um forte abraço.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Arquivo do blog