terça-feira, 31 de agosto de 2010

ACORDAR

(Imagem - fotonet)

Um pássaro canta de fora da janela;

o sol da manhã despeja a sua luz

sobre o campo. Ela ocupa-se em nada,

como a libélula que procura

os filamentos de brilho na água

do charco. E a vida declina

na oblíqua sonolência dos seus olhos.



Nuno Júdice



16 comentários:

  1. Carlos, lindo poema e seria vida bem mais tranquila se muitas vezes nos ocupássemos com o nada. Simples e belo assim.
    Um beijo

    ResponderExcluir
  2. O depertar de uma fada, escrito por um poeta doce e sensivel
    Bjos achocolatados

    ResponderExcluir
  3. Numa preguiça gostosa, de ver o dia se arrastando.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  4. Bonito, mas penso que uma mulher não vai querer apenas uma vida tranquila...

    Fique com Deus, menino Carlos Rosa.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  5. Até eu queria despertar assim!
    Bjs.

    ResponderExcluir
  6. Obrigada querido, você sempre me emociona.

    ResponderExcluir
  7. Nossa,imaginei acordar assim, com o canto dos pássaros, o pousar delicioso de uma libélula esvoaçante pousando na pétala da flor orvalhada...uma delícia bucólica.
    Bjs

    ResponderExcluir
  8. Bucólica, pueril e delicada poesia...Você é demais! Bjs.

    ResponderExcluir
  9. O 'acordar' nunca foi tão bem descrito, como nesse poema.

    BeijooO*

    ResponderExcluir
  10. Versos serenos do amanhcer da alma...abraços de bom dia pra ti amigo...

    ResponderExcluir
  11. O acordar é um convite para 'o que der e vier'.

    *Entre o sonho e a realidade eu prefiro a realidade que me permita sonhar. http://jefhcardoso.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Belissimo amigo, bom restinho de semana!!

    beijo

    ResponderExcluir
  13. Passando para lhe desejar dias de paz.
    Bjos achocolatados

    ResponderExcluir
  14. Ainda que o verbo 'adormecer' seja um dos meus preferidos, esse 'acordar' romântico, pleno, foi incrível.

    Bela escolha.

    Beijos...

    ResponderExcluir
  15. ""(...) Deveria chamar-te claridade
    Pelo modo espontâneo
    Franco e aberto
    Com que encheste de cor o mundo escuro..."

    ...(Vinicius de Moraes)"


    Beijos perfumados prá voce!! M@ria

    ResponderExcluir
  16. Adoro a maneira como escreve: "ocupa-se com o nada" é lindo e leve. Todo o poema é de uma leveza infinita. Adorei!
    Beijos.

    ResponderExcluir

Meus amigos e amigas sejam sempre bem vindos, eu agradeço aos gentis e inteligentes comentários no meu humilde espaço de reflexão, expressão e comunicação. Espero o seu retorno. Um forte abraço.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Arquivo do blog