sábado, 1 de outubro de 2011





o florir

O florir do encontro casual
Dos que hão sempre de ficar estranhos…
O único olhar sem interesse recebido no acaso
Da estrangeira rápida…
O olhar de interesse da criança trazida pela mão
Da mãe distraída…
As palavras de episódio trocadas
Com o viajante episódico
Na episódica viagem…
Grandes mágoas de todas as coisas serem bocados…
Caminho sem fim…
                                                                                                                               Álvaro de Campos



5 comentários:

  1. º° ✿
    ♥ °
    Amigo,
    Somente as crianças tem olhos para ver com o coração.
    Gostei da poesia, eu não a conhecia.
    Bom fim de semana!
    Beijinhos.
    Minasº° ✿
    ✿♥ °

    ..(░)(░)
    (░)(♥)(░)
    ..(░)(░)

    ResponderExcluir
  2. Boa noite amigo Cau,


    Que maravilha esta poesia de Fernando Pessoa que não conhecia! Pelo menos não estou lembrada... Agradeço muitíssimo.


    Beijos com carinho e domingo feliz.

    *Agora mais segura para visitar e receber visitas reabri o SAM por ter sido reavaliado e está ok.

    ResponderExcluir
  3. A beleza está no descuido, já disse o mestre.

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  4. Crianças têm olhos de ver... Adultos vivem distraídos.

    Bela escolha, Cau!

    Ótima semana para você.

    Beijocas!

    ResponderExcluir

Meus amigos e amigas sejam sempre bem vindos, eu agradeço aos gentis e inteligentes comentários no meu humilde espaço de reflexão, expressão e comunicação. Espero o seu retorno. Um forte abraço.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Arquivo do blog