domingo, 8 de abril de 2012



Poema do dia

Uma ocasião, 
meu pai pintou a casa toda 
de alaranjado brilhante. 
Por muito tempo moramos numa casa, 
como ele mesmo dizia, 
constantemente amanhecendo. 


Adélia Prado

4 comentários:

  1. Constantemente amanhecendo...o dourado do Sol de todas as manhãs. Não importa a cor, desde que a alma dê o tom. Está linda. Beijos com carinho

    ResponderExcluir
  2. Caurosa, eu aaaaaaaamo esse poema da Adélia, evocativo de um passado tão lindo...

    Beijocas!

    ResponderExcluir
  3. Olá, C@urosa!
    muito bom o poema!
    Abçs!
    Rike.

    ResponderExcluir
  4. Muita coisa que ontem parecia importante ou significativa amanhã virará pó no filtro da memória. Mas o sorriso (...) ah, esse resistirá a todas as ciladas do tempo.

    Caio Fernando Abreu


    Feliz e abençoado Domingo e beijos meus! M@ria

    ResponderExcluir

Meus amigos e amigas sejam sempre bem vindos, eu agradeço aos gentis e inteligentes comentários no meu humilde espaço de reflexão, expressão e comunicação. Espero o seu retorno. Um forte abraço.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Arquivo do blog