sexta-feira, 30 de julho de 2010

Corpos felizes



Não vejo, mas sinto
a alegria estampada
nos rostos.
Como são felizes,
esses corpos quase nús!

A bola rola, rola...
momento lúdico,
jeito moleque,
de acariciar a bola.

Saudade?Inveja?
Desses corpos
que correm livres.
Como são alegres, felizes,
esses corpos quase nús!


C@urosa

24 comentários:

  1. Não inveja mas uma alegria de ver pessoas sendo feliz e sabermos que tmb podemos ser iguais...

    abraçao meu amigo

    ResponderExcluir
  2. Nada como a felicidade genuína de nem se ter a noção de que se é feliz, até se olhar para trás.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  3. Todos temos saudades da nossa infância, mas não podemos deixar que a saudade evite de nós avançarmos...

    Fique com Deus, menino Carlos Rosa.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  4. Cau,

    apaixonada por esta poesia...Linda, amigo. Parabéns.

    Bom fim de semana. Beijos

    ResponderExcluir
  5. Querido amigo, sua poesia como sempre reflete a pureza, a liberdade e o sentimento de felicidade que todos deveríamos sentir. Obrigada pela sua visita e seu carinho.
    Bjs
    Janeisa

    ResponderExcluir
  6. Palavras não descrevem
    O valor de uma amizade
    Quando este amigo
    É um amigo de verdade


    Agradeço sua amizade e carinho.
    Feliz Domingo! Beijos M@ria

    ResponderExcluir
  7. As palavras sem afeto
    Nunca chegarão aos ouvidos de Deus.

    Shakespeare


    Amor & Paz no seu Domingo.
    Beijos do meu para o seu coração!!

    ResponderExcluir
  8. Felizes e de espirito leve....abraços amigo e uma bela semana pra ti.

    ResponderExcluir
  9. Olá, desculpe invadir seu espaço assim sem avisar. Meu nome é Fabrício e cheguei até vc através do Blog Teatro da Vida. Bom, tanta ousadia minha é para convidar vc pra seguir meu blog Narroterapia. Sabe como é, né? Quem escreve precisa de outro alguém do outro lado. Além disso, sinceramente gostei do seu comentário e do comentário de outras pessoas. Estou me aprimorando, e com os comentários sinceros posso me nortear melhor. Divulgar não é tb nenhuma heresia, haja vista que no meio literário isso faz diferença na distribuição de um livro. Muitos autores divulgam seu trabalho até na televisão. Escrever é possível, divulgar é preciso! (rs) Dei uma linda no seu texto, vou continuar passando por aqui...rs



    Narroterapia:

    Uma terapia pra quem gosta de escrever. Assim é a narroterapia. São narrativas de fatos e sentimentos. Palavras sem nome, tímidas, nunca saíram de dentro, sempre morreram na garganta. Palavras com almas de puta que pelo menos enrubescem como as prostitutas de Doistoéviski, certamente um alívio para o pensamento, o mais arisco dos animais.


    Espero que vc aceite meu convite e siga meu blog, será um prazer ver seu rosto ali.


    Abraços

    http://narroterapia.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  10. Passando rapidinho só pra avisar que estou de volta.

    Senti tantas saudades desse mundo fascinante da blogsfera, dos amigos, é muito bom estar de volta.

    beijooo.

    ResponderExcluir
  11. Quer ver um menino feliz, dê-lhe uma bola!! A felicidade era tão simples!! Boa semana!! Beijus,

    ResponderExcluir
  12. Pequenos,frágeis e rápidos.
    Assemelham a beleza da bola.
    Um grande beijo e linda semana!

    P.s: Caso queira postar,ficarei muito feliz.

    ResponderExcluir
  13. Saudade sim, mas somos livres para ser criança ate o fim. Abraços. Amelia

    ResponderExcluir
  14. ...e eles vão crescendo e vamos
    colocando roupas nestes corpos nus.

    e junto com as roupas, os preconceitos,
    os medos, as 'traves' de que nada pode,
    e tudo é pecado...

    pobres meninos que crscem...rsrs

    bj, poeta!

    ResponderExcluir
  15. Um selinho prá voces meus amigos aqui neste blog.
    Vos ofereço com muito carinho e amor.

    Beijos na alma! M@ria

    ResponderExcluir
  16. Olá meu amigo
    Voltei. Obrigado pela força dada em minha ausência.
    Abração

    ResponderExcluir
  17. Abraços fraternos de bom dia pra ti amigo...

    ResponderExcluir
  18. Essa felicidade pura e expontânea...Lindo, uma delícia de imaginar! Obrigada pelo carinho meu amigo. Montão de bjs e abraços de admiração

    ResponderExcluir
  19. Olá Carlos, uma delícia mesmo essa liberdade que se expressa através da bola. Lindíssima imagem.
    Um beijo

    ResponderExcluir
  20. Que beleza de poema, ele fala da saudade de ser feliz no campinho de terra batido quando não havia tantas construtoras. Lembra? Abração

    PS: Se o Peixe ganhar com todos esses problemas de comportamento será uma alegria. Que vença o que merecer de fato.

    ResponderExcluir
  21. Meu querido amigo
    Um belo poema, nesses corpos lembramos a nossa infância.

    Beijinhos
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  22. Caurosa, suas poesias são sempre lindas! Gostei muito dessa, muito mesmo. Bjão e boa semana.

    ResponderExcluir
  23. Dá uma saudade da infância, não é? Onde a nossa maior preocupação era saber quem traria a bola! O resto, a turma se dividia e fazia acontecer. Claro que a camisa sempre esteve por cima, afinal esses benefícios só são possíveis a vocês homens! Mas me divertia mesmo assim! Um beijo, Deia.

    ResponderExcluir
  24. Carinhos desenhados em
    palavras são como flores perfumadas...

    - Dolce Bárbara –

    Beijos & Flores! M@ria

    ResponderExcluir

Meus amigos e amigas sejam sempre bem vindos, eu agradeço aos gentis e inteligentes comentários no meu humilde espaço de reflexão, expressão e comunicação. Espero o seu retorno. Um forte abraço.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Arquivo do blog