segunda-feira, 19 de julho de 2010

Palavras...

imagesPFFG

Onde encontrar a palavra?

Onde a palavra ressoará?

Não aqui.

Onde o silêncio foi-lhe escasso.

Nenhum lugar abençoado

para os que evitam o olhar.

Nenhum tempo de júbilo

para os que caminham

a renegar a voz

em meio aos uivos do alarido.

imagesggg T.S Eliot.

C@urosa

9 comentários:

  1. Oi Carlos
    E quando as palavras não dizem nada além do que o próprio silêncio?
    Grande abraço

    ResponderExcluir
  2. Meu amigo Carlos cada coisa a seu tempo. Tempo de palavras, em que precisamos falar e falar e tempo de silêncio onde apenas nos cabe calar.
    Um beijinho

    ResponderExcluir
  3. Adorei ler aqui T.S Eliot. Obrigada, Cau.

    Beijos e boa semana.

    ResponderExcluir
  4. Meu querido
    Nas palavras deste poema, fala o silêncio, adorei.

    Beijinhos
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  5. Um oásis esse blog do Cau... Eliot!!! E as zebrinhas que a filhota gostou, hein! Ueba!

    Beijocas da leitora.

    ResponderExcluir
  6. Cada vez que aqui venho esse lugar está mais charmoso...

    Belo poema, Carlos.
    As palavras implícitas pelo silêncio são também oportunas...

    Boa semana.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Oi Carlos! Lindo poema! Sempre nossas amigas, as palavras, por vezes não encontram ambiente onde possam se propagar como gostariam. Por isso, algumas vezes, as descobrimos quietinhas, sem fazerem nenhum barulho! Um beijo, ótima semana! Deia.

    ResponderExcluir
  8. Muitas vezes o silêncio nos fala mais do que as palavras.
    FELIZ DIA DO AMIGO. Amigooo.
    Bjs! Lu & Marcinha

    ResponderExcluir

Meus amigos e amigas sejam sempre bem vindos, eu agradeço aos gentis e inteligentes comentários no meu humilde espaço de reflexão, expressão e comunicação. Espero o seu retorno. Um forte abraço.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Arquivo do blog