segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Poente




Como sempre, o vento
caiu ao fim da tarde, com a calma
branca dos muros; e as horas
estendiam-se pelo campo,
como os pássaros do poente.
Mas doíam-me as dúvidas
que trouxe deste dia; e
colei-as às flores de uma árvore,
para que delas nasçam
os frutos luminosos de amanhã.
De noite, quando me esquecer
da ondulação verde da terra,
ouvirei o silêncio - e nas suas palavras
contarei as sílabas mudas do amor,
enquanto o mundo não acorda.

Nuno Júdice

25 comentários:

  1. Que lindo!!!
    Uma ótima semana pra ti querido, beijos.

    ResponderExcluir
  2. Belo poema o autor disse tudo.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  3. Mas o Nuno é de uma sensibilidade, de um lirismo tão cativante... Amo.

    Beijocas no Super Cau!

    ResponderExcluir
  4. Carlos que linda a poesia que dividiste conosco. Quantas vezes nos deixamos sobressaltar pelas dúvidas, mas nada como uma boa noite entre um dia e outro. Acalma a alma e serena as dúvidas.
    Um beijo

    ResponderExcluir
  5. Olá amigo Carlos
    Sensibilidade à flor da pele. Amei.
    Grande abraço

    ResponderExcluir
  6. Olá,
    "...ouvirei o silêncio - e nas suas palavras
    contarei as sílabas mudas do amor"...
    Amei esses versos lindos!
    Abraços fraternose bjs de paz.

    ResponderExcluir
  7. Um momento de paz, que estamos precisando tanto no Rio de Janeiro...

    Fique com Deus, menino Carlos Rosa.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  8. e esperando que os frutos nasçam a tempo de serem degustados..
    bjs.Sol

    ResponderExcluir
  9. Muito lindo, tenha um bom dia. Amelia

    ResponderExcluir
  10. Alô...!
    Só pra dizer que o resultado do sorteio já esta publicado.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  11. Belissimo amigo!!

    Se cuida. boa Semana!!

    beijocas

    ResponderExcluir
  12. Como sempre vc nos trás lindos poemas.
    Prabéns!

    Iram

    ResponderExcluir
  13. Adoro os poemas do Nuno e a imagem que ilustra o post é linda!
    Um abraço ;)

    ResponderExcluir
  14. Belo poema
    " Mas doíam-me as dúvidas
    que trouxe deste dia; e
    colei-as às flores de uma árvore,"
    de uma delicadeza impressionante.
    Um poeta!!!!!
    abraços

    ResponderExcluir
  15. Olá, Carlos!
    O pôr do sol é realmente algo fantástico e inspirador.
    Abçs!
    Rike.

    ResponderExcluir
  16. Adorei esse poema! Colar as dúvidas às folhas de uma árvore...Tem coisa mais linda? abraços.Bela escolha!chica

    ResponderExcluir
  17. Amei esse poema, é delicado.
    Obrigada Carlos, pela visita linda!

    Beijo
    Fernanda

    ResponderExcluir
  18. Muito lindo, super sensível e a imagem é belíssima.
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  19. Falar o que meu amigo?
    Lindo, lindo, lindo!
    Bjs.

    ResponderExcluir
  20. Olá Carlos!
    Nada melhor que o outro dia, pra gente pensar direito, né? Muito bom estar por aqui.
    Bj e linda semana p voce

    ResponderExcluir
  21. Olá amigo Carlos
    Obrigado pelo carinho no dia do meu aniversário. Fiquei um ano mais experiente rsrsrs
    Grande abraço

    ResponderExcluir
  22. ...Nuno Júdice, e sua sensiblidade
    em escolher tão belo poema,
    enfeitou minha tarde por aqui!

    bj, mestre!

    ResponderExcluir
  23. Oi,
    Preciso que me envie o endereço para ser entregue o livro. No post tem para onde vc deve me enviar.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  24. Belíssima poesia! Eis o motivo que mais gosto de fotografar é o poente que eu chamo da horinha mágica...É muito breve! Abração

    ResponderExcluir

Meus amigos e amigas sejam sempre bem vindos, eu agradeço aos gentis e inteligentes comentários no meu humilde espaço de reflexão, expressão e comunicação. Espero o seu retorno. Um forte abraço.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Arquivo do blog