sábado, 2 de outubro de 2010

Neruda




Abaladora foi a noite de setembro

Eu trazia na roupa

a tristeza do trem que me trazia

cruzando uma por uma as províncias:

Eu era esse ser remoto

turbado pela fumaça do carvão

da locomotiva.

Eu não era.

Tive de encarar então a vida.

Minha poesia me incomunicava

e me agregava a todos.

Naquela noite

me coube declarar a primavera.

A mim, pobre sombrio,

me fizeram desatar a vestimenta

da noite desnuda.

Tremi lendo ante duas mil orelhas desiguais meu canto.

A noite ardeu

com todo o fogo escuro

multiplicando-se na cidade,

na urgência imperiosa do contato.

Morreu a solidão aquela vez

ou nasci eu de minha solidão?

PABLO NERUDA

10 comentários:

  1. Neruda dispensa comentários. Parabéns pela escolha.
    Um ótimo fds
    Abração

    ResponderExcluir
  2. Neruda é sempre encantador, sublime e delicioso de ler.
    Abraços

    ResponderExcluir
  3. ...renascer da própria solidão,
    sentir-se inteiro e poético
    é dádiva para poucos.

    Neruda é tudo de bom!

    lindo post como sempre
    encontro por aqui.

    bjbjbj de sábado chuvoso!

    ResponderExcluir
  4. Lindo poema!
    Neruda é inigualável.
    Bom fim de semana ;)

    ResponderExcluir
  5. Meu amigo
    Uma boa escolha, este lindo poema de Neruda.
    Lindo.

    Beijinhos
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  6. É muito bom, sempre, ler Neruda.
    Quando renascemos de nossa própria solidão é algo que me encanta e admiro muito, pois temos que ter coragem também.
    Um beijo

    ResponderExcluir
  7. Fenix também! Genial o Neruda e você também selecionar. Abraço

    ResponderExcluir
  8. As vezes momentos se confundem, pois dá para criarmos um momento e esperar que este momento não nos mude...

    Fique com Deus, menino Carlos Rosa.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  9. Amigo Cau,

    belíssimo! E viva Neruda!!! Estamos em sintonia.

    Beijos e bom fim de semana.

    ResponderExcluir
  10. Sensacionais as imagens... a primeira, então, é bárbara.
    Que dizer do poema!
    "...Minha poesia me incomunicava
    e me agregava a todos..."
    É isso...
    To adorando teu blog.
    Beijokas.

    ResponderExcluir

Meus amigos e amigas sejam sempre bem vindos, eu agradeço aos gentis e inteligentes comentários no meu humilde espaço de reflexão, expressão e comunicação. Espero o seu retorno. Um forte abraço.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Arquivo do blog